Eleição de Prefeito pode ser anulada em Poção de Pedras

O juiz Dr. Bernardo Freire, respondendo pela 61ª ZE, designou nova data para a realização da tão temida audiência de instrução do processo de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) que apura possível abuso de poder político e outras irregularidades praticadas pela chapa Francisco Pinheiro e Adailza, nas eleições 2020 em Poção de Pedras.

Com claras e patentes jogadas de postergações, os investigados veem desde o começo do ano utilizando-se de todas as manobras possíveis, com intuito de não comparecer diante da autoridade judicial e de uma eventual acareação entre testemunhas, retardando assim o andamento do processo.

Esse pavor das provas contundentes e do que possa vir dos depoentes arrolados ficou evidente quando os acusados se esconderam quase um mês em São Luís, para não receberem a notificação do oficial de justiça. Depois, quando um dos advogados alegou que estava doente e não poderia comparecer à audiência; e por último, quando o ex-prefeito Júnior Cascaria ingressou com mandado de segurança a fim de que a audiência não acontecesse presencialmente.

A nova data prevista é 21 de julho.

“[…] Designo para o dia 21 de julho de 2021, às 10:00h, na Sala de Audiência do Fórum de Justiça desta Comarca para a realização de audiência instrutória”, fixou no despacho o árbitro.

“[…] Intimem-se as partes a se fazerem presentes no respectivo ato, devidamente acompanhadas de seus advogados e das testemunhas que deverão comparecer independentemente de intimação. (art. 22, V da LC 64/90).”

“[…] Não havendo impugnação no prazo de 15 (quinze) dias, está deferido o pedido. Havendo impugnação por qualquer das partes, autos conclusos para decisão.”

O certo é que o clamor popular é grande, chega a ser estridente aos ouvidos; pranteia-se por justiça, pela reparação de um erro que é sentido por todos; um preço que todos estão pagando.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*