PMs que deixaram dona de loja espancar suspeitas de furto no Maranhão responderão a sindicância e inquérito policial.

Nos últimos dias um vídeo ganhou grande proporção nas redes sociais, onde mulher suspeita de praticar furto em uma loja foi espancada pela dona na presença de uma equipe policial.

Pelo menos três policiais que participaram da ocorrência no bairro do Parque Vitória, região metropolitana de São Luís, irão responder por inquérito polícia e uma sindicância do Conselho Disciplinar da Própria Polícia Militar do Maranhão.

A informação foi confirmada pelo o secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, que condenou a atitude dos PMs.

No vídeo de uma câmera de segurança do local, mostra a suspeita de ter praticado o delito no chão sofrendo violência diante dos policias que ficaram em estado de inercia.

O coronel Pedro Ribeiro, ao tomar conhecimento do caso, determinou abertura de inquérito policial, sindicância demissionária e apuração do Conselho de Disciplina da PM. Além disso, a Polícia Civil irá investigar a atitudes da proprietária da loja que foi agressiva.

veja o vídeo da agressão abaixo:

Veja a nota da PM na íntegra.

“Na presença de policiais militares, como fica evidente em vídeo divulgado em redes sociais neste final de semana, proprietária da loja Empório do 20, no Parque Vitoria, em São José de Ribamar, fechou o estabelecimento e espancou mulheres acusadas de roubo.

Os policiais em vez de tomarem as medidas legais com base na acusação de roubo e diante das agressões, deram cobertura para o ato ilegal, de violência e violação de direitos, incompatível com a missão do policial militar, do servidor público.

O comandante da Polícia Militar, Coronel Pedro Ribeiro, me informou que logo ao tomar conhecimento do caso adotou todas as medidas cabíveis sobre essa ação ilegal – determinou abertura de inquérito policial, sindicância demissionária e apuração do Conselho de Disciplina da PM.

Eu, na condição de secretário de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular, estou solicitando a Corregedoria da Segurança Pública e a Corregedoria da Polícia Militar igualmente a apuração do caso.

Do mesmo modo, estou solicitando a Polícia Civil a apuração das agressões.”

Quem comete crime, deve ser preso/a e ser submetido/a a um julgamento justo, seja quem rouba, quem agride ou servidor público que protege agressor. Essa é a lei, fora disso é crime.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*