Vereadora Marly Tavares participa de ação do Agosto Lilás em alusão ao combate a violência

A Vereadora e Presidente da Câmara Municipal, Marly Tavares esteve presente nessa manhã de sexta-feira (27) na manifestação que aconteceu no centro da cidade.

A ação é a respeito do Agosto Lilás, onde a Câmara Municipal na pessoa de Marly juntamente com os demais parlamentares  realizam uma caminhada contra a violência.

A campanha Agosto Lilás foi criada como parte da luta representada pela Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006, para combater e inibir os casos de violência doméstica no Brasil.

São  15 anos da Lei Maria da Penha Lei 11.340/06, que é considerada legislação de referência em todo o mundo no combate a esse tipo de violência. O nosso país foi o 18º da América Latina a adotar uma legislação para punir agressores de mulheres.

“Ações de conscientização como essa são de fundamental importância para garantir mais segurança e direitos às mulheres, fazendo com que se sintam acolhidas e tenham noção do erro dos seus agressores. Em muitos casos há receio de denúncias, mas elas são feitas de formas anônimas e salvam vidas. Não tenham medo, denuncie. Ligue 180!” Disse Marly.

Afinal, quem é Maria da Penha?

De acordo com sua biografia contada no site do Instituto Maria da Penha, ela nasceu em Fortaleza (CE), em 1945 e se formou em 1966, em farmácia bioquímica. Casou e em 1976, com seu marido colombiano e tiveram três filhas.

Em 1983, Maria da Penha foi vítima de dupla tentativa de feminicídio por parte do marido, sendo atingida com um tiro nas costas, enquanto dormia, ficando paraplégica. Na ocasião, o marido declarou à polícia que tinha ocorrido uma tentativa de assalto.  Quatro meses depois, ele a manteve em cárcere privado durante 15 dias e tentou eletrocutá-la durante o banho.

O primeiro julgamento ocorreu em 1991, oito anos após o crime. O agressor foi sentenciado a 15 anos de prisão, mas, devido aos recursos, saiu em liberdade. Neste momento, Maria da Penha resolveu escreveu o livro ‘Sobrevivi… posso contar’. Anos mais tarde, Maria da Penha ganhou uma ação contra o Estado que precisou indenizá-la. Em 2006 foi implantada a Lei que ficou conhecida pelo seu nome.

Denúncias

Para denunciar qualquer ato de violência contra a mulher, ligue 180. Esse número é gratuito, confidencial (anônimo) e funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados, e pode ser acionado de qualquer lugar do Brasil.

Confira:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*